Sexta-feira, 27 de Outubro de 2006

...

 

carta de desamor

Estou farta do teu domínio. Invades-me a casa, o carro, a roupa e até o meu corpo.

Quando não tenho, e se vou para algum lado estou sempre a ver se alguém te usa ou se apareces na mão de uma pessoa a quem te possa pedir.

Se não te vejo reviro a cabeça em todos os sentidos a ver se encontro o teu cheiro.

São sempre longas e angustiantes as horas que passo sem ti e quando sei que daí é possível comprar-te, sinto um alívio enorme pela proximidade desse encontro. Começo então a respirar fundo e a pensar – seria possível continuar sem te ter? Como faria eu isso? Como ultrapassaria este momento se não tivesse dinheiro para te conseguir? – Sim, se não tivesse dinheiro, se ninguém me emprestasse, como te compraria eu? –

Ufa! momentos de quase desprezo pela força que não consigo.
 

Quando me vejo em fotos antigas e estou contigo, penso que parva que eu fui, que parva que eu sou e não sei quando vou deixar de o ser.
 

Já me contaram várias artimanhas para te deixar e que funcionaram com outras pessoas. Mas comigo ainda não. Umas fazem-me mal ao estômago e outras mais parecem monstros de ajuda de destruição celular.

 

Contrariando alguém - que diz que -  as mulheres estão sempre a dizer que não lhe dão atenção nenhuma – eu digo-te: ligas-me demais!

Sonho com o dia em que vou poder dizer que não te tenho há quatro dias, há 1 mês ou mesmo há três anos.
 

As pessoas que não te usam às vezes cheiram bem, outras tresandam a naftalina, cânfora ou águas-de-colónia, que de tão moda serem, tem que se estar a falar com elas a um metro de distância. Mas sinto muita inveja quando falo com alguém cujo hálito só cheira a café acabado de tomar, mas principalmente apraz-me esse cheiro porque não tem o teu odor misturado.

O Mal, para não dizer outra coisa, é que adoro partilhar-te com as minhas amigas, quando saímos de um sítio em que tu eras proibido.

 

Vai-te embora, desaparece tu que já tiveste tantos nomes como português suave, kentucky, SG, marlboro, la paz, e Slims por influência da musa Sofia.

publicado por nomeoriginal às 14:57

link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De LFMarques a 6 de Novembro de 2006 às 01:47
Ah!!! O malandro do tabako!!!!
De gatafunha a 6 de Dezembro de 2006 às 20:00
:) deste amor também eu me quero livrar, mas ele não me larga **

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. abraço ao vento

. Serra da Estrela

. lisboa

. homens e mulheres

. estrelas

. eu ou

. covão da mulher

. distancia

. v e n t o

. sem nome

.arquivos

. Julho 2012

. Abril 2012

. Julho 2011

. Novembro 2009

. Novembro 2008

. Maio 2008

. Julho 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.links

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds